O que propomos com a METODOLOGIA DAS HACKNARRATIVAS SISTÊMICAS:

  • Abandonar a forma atual de organização do currículo (por disciplinas);
  • Criar e fornecer conteúdo transdisciplinar em vez de ensinar cada disciplina isoladamente;
  • Organizar o conteúdo curricular em torno dos sistemas e subsistemas que sustentam a nossa vida, utilizando como contexto a investigação dos padrões e metapadrões emergentes de relacionamento, conexão e desconexão existentes entre eles;
  • Utilizar as hacknarrativas sistêmicas como língua franca para o diálogo entre os campos disciplinares.
  • Utilizar a aprendizagem criativa em conjunto com a aprendizagem colaborativa como organizadoras principais das experiências educativas;
  • Capacitar o aluno a enxergar, explorar e intervir em sistemas complexos;
  • Produzir capital social através da criação de novas estruturas sociotécnicas de pertencimento em nossas comunidades;
  • Desenvolver a inteligência afetiva** através da inserção da afetividade no processo de ensino-aprendizagem, procurando recuperar os valores humanos “saudáveis” em prol de uma transformação social profunda;
  • Estimular a recuperação da unidade perdida entre o homem e a natureza.

(*) ‘Hacknarrativas sistêmicas’ é um termo que eu cunhei para designar as narrativas que descrevem os padrões e metapadrões de relacionamento entre as partes integrantes de um sistema.

(**) Desenvolver a inteligência afetiva implica fortalecer um nível profundo de consciência com consequências éticas.